Crisma

A Confirmação é um sacramento que imprime carácter, configura o fiel plenamente a Cristo, incorpora-o plenamente à Igreja e fortalece-o com uma especial efusão do Espírito Santo para que possa confessar com valentia, de palavra e de obras, o nome de Cristo. É o sacramento do crescimento e do robustecimento da vida divina que começou no batismo e se alimenta na eucaristia.
Este sacramento é fundamental para que o fiel leigo possa assumir compromissos maiores na vida da Igreja.

1.Condições para receber o crisma

Só pode ser crismado o batizado que nunca foi crismado.
No caso de adultos, devem manifestar vontade de recebê-lo.
Convém que a pessoa receba formação. O ideal é uma preparação regular, de vários meses. Mas, cada caso é um caso… O pretendido é que a pessoa esteja firme na fé e peça de coração, com responsabilidade, o crisma.
O Pároco falará individualmente com cada jovem/adulto que pretenda o crisma.

2.O dia da celebração

É o Bispo, sucessor dos Apóstolos, quem normalmente administra o crisma.
É assim pois faz recordar o Pentecostes, há 2000 anos, em que o Espírito desceu sobre os Apóstolos.
Como só temos um Bispo, o crisma é marcado consoante a sua disponibilidade.

3.Não vivo na Paróquia de Palhais/Santo António...

Para seres crismado em Palhais/Santo António, necessitas autorização escrita do Pároco do local onde vives.

4.O padrinho

O padrinho não é obrigatório. Apenas recomendado.
Ele deverá ajudar que a pessoa viva como verdadeiro discípulo de Jesus e cumpra as obrigações de cristão.
Como tal, a escolha não deve ser baseada em questões de amizade, de parentesco ou de prestígio social.
Deve ter, pelo menos, 16 anos de idade.
Deve ser católico e ter recebido os sacramentos de iniciação cristã (além do batismo, a eucaristia e confirmação/crisma). Deve participar regularmente na eucaristia.
Não pode ser o pai ou a mãe da criança.
A vida deve ser congruente com a fé e com a missão que vai assumir (por exemplo, não pode ter trabalhos contrários à moral católica, não pode estar a viver união de facto, etc).
Resumidamente, deve ser um cristão comprometido com a fé.
No caso do padrinho ser de fora da Paróquia de Palhais/Santo António, deve apresentar documento da paróquia onde reside que comprove que é idóneo para ser padrinho.